FIQUE ATUALIZADO COM AS MAIS RECENTES NOTÍCIAS SOBRE VÍDEO ENDOSCOPIA E MEDICINA REPRODUTIVA

Solicitar Consulta

Miomas acometem 80% das mulheres em idade fértil e podem causar infertilidade

Autor: Portal R7

Grande parte das mulheres em idade fértil convive com um ou mais miomas uterinos sem ter sintomas e, às vezes, desconhecendo até que tem esses nódulos. O mioma atinge 80% das mulheres em fase reprodutiva, segundo a Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo). Apesar de serem tumores benignos e, na maioria dos casos, assintomáticos, há situações em que os nódulos podem causar consequências à saúde. Entre as principais está a infertilidade. Cerca de 25% das mulheres com um ou mais miomas necessitam algum tipo de tratamento.
“A depender da sua localização, o mioma pode prejudicar a gravidez espontânea, uma vez que o nódulo impede que o embrião seja implantado na parede do útero, causando infertilidade, aborto ou até mesmo um trabalho de parto prematuro”, explica o ginecologista Jean Pierre Barguil Brasileiro, especialista em Reprodução Humana e um dos diretores do Instituto Verhum, referência nacional em saúde reprodutiva.

A doença é comum em mulheres de 35 a 45 anos. Segundo o especialista, mulheres sedentárias, acima do peso, negras, com histórico familiar e que já passaram dos 30 anos sem ter filhos têm mais predisposição de desenvolver esses nódulos no útero. Além da infertilidade, os miomas podem comprimir a bexiga e o intestino caso cresçam muito, causando outros problemas, como incontinência urinária e constipação intestinal, respectivamente. Sangramentos intensos e prolongados, às vezes com coágulos, cólicas menstruais (dismenorréia), dores pélvica ou lombar e dor durante o ato sexual são outros sintomas.

Há, atualmente, técnicas pouco invasivas que ajudam a tratar os miomas de maneira rápida e segura, nos casos de haver indicação cirúrgica para a retirada dos mesmos. “São procedimentos cirúrgicos rápidos e minimamente invasivos, que reduzem o risco de sangramento e de infecção hospitalar”, afirma Jean Pierre.

A videohisteroscopia é uma dessas técnicas e pode ser realizada em ambiente ambulatorial sem a necessidade de internação. Ela permite retirar tumores submucosos que estão na cavidade do útero. O procedimento, que não requer cortes nem incisões, é realizado através de um pequeno tubo de fibra óptica, acoplado a uma microcâmera, que é introduzido no útero pelo canal vaginal e permite visualizar os miomas e fazer a remoção cirúrgica.
A videolaparoscopia é outra alternativa para o tratamento de miomas. O procedimento é realizado através de duas ou mais mini-incisões na parede abdominal por onde são introduzidos um aparelho chamado laparoscópio (pequeno tubo com fonte de luz e camera acoplada) e pinças, instrumentos usados para identificação das estruturas e remoção cirúrgica. Também é usado um tubo que injeta gás carbônico para provocar distensão abdominal e permitir melhor visibilidade para o cirurgião durante o procedimento.
As duas técnicas são as mais recomendadas para mulheres que ainda desejam ter filhos e são amplamente usadas para diagnóstico e tratamento de várias patologias do trato ginecológico.

Outras técnicas como a embolização ou a histerectomia (cirurgia de retirada total ou parcial do útero) também podem ser indicadas para o tratamento dos miomas.
Segundo o médico, o tratamento indicado é muito individualizado e depende de uma série de aspectos e da própria paciente. “Avaliamos, principalmente, o número de miomas, sua localização, tamanho, sintomas, a idade da mulher e se ela ainda tem desejo de engravidar”, esclarece Jean Pierre Barguil Brasileiro.

Sobre o Instituto Verhum
Referência nacional na área de Reprodução Assistida, o Instituto é dirigido pelos médicos Jean Pierre Barguil Brasileiro e Vinicius Medina Lopes. Para garantir atendimento integral aos casais inférteis, o serviço conta com uma equipe médica altamente qualificada nas especialidades de reprodução assistida, andrologia, ginecologia geral e obstetrícia, genética, ginecologia oncologia, psicologia, ultrassonografia e endoscopia ginecológica. Desde sua fundação, há 10 anos, o Instituto já tem registrado centenas de bebês nascidos através de procedimentos de reprodução assistida, como a inseminação e a fertilização in vitro.
Com sede localizada no Lago Sul, em Brasília, o Instituto Verhum tem unidades de atendimento também na Asa Norte, Asa Sul e em Taguatinga e aposta no atendimento humanizado através de um ambiente acolhedor e uma equipe multidisciplinar atenta a todos os detalhes, para transmitir confiança, segurança e discrição. O serviço investe no que existe de mais atual e seguro nos tratamentos de reprodução humana, com equipamentos de última geração, aliando os conceitos de modernidade e inovação.

 

Fonte: Portal R7

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someoneShare on LinkedIn