O impacto da obesidade na fertilidade masculina

  • 29/06
  • BLOG VERHUM
  • Instituto Verhum

O acúmulo excessivo de gordura em várias partes do corpo, conhecido clinicamente como obesidade, pode gerar uma série de desequilíbrios à saúde reprodutiva masculina. De acordo com um estudo feito pelo  Laboratório de Biologia Médica de Eylau-Unilabs, em Paris, na França, o esperma de homens obesos tem uma quantidade menor de espermatozoides quando comparado ao esperma de homens com peso normal.


Para a realização do estudo, os pesquisadores coletaram amostras de sêmen de 1.940 indivíduos, cuja análise considerou o volume de esperma, seu pH, a concentração de espermatozoides por ml, seu número total, sua mobilidade, vitalidade, taxa de formatos atípicos e outros critérios. Tais dados foram relacionados com o índice de massa corporal (IMC) de cada um dos participantes.


Ficou constatado que, quanto maior o sobrepeso, menor a qualidade do sêmen, principalmente no que se refere à concentração e ao número total de espermatozoides. Nos pacientes que sofrem de obesidade, essa concentração chega a ser 20% menor e a mobilidade dos gametas cai 10%.   Enquanto a contagem total de espermatozoides fica entre 184 a 194 milhões nos indivíduos com peso normal, nos homens obesos esse número fica entre 135 a 157 milhões.  Em alguns pacientes com obesidade mórbida pode ocorrer ainda a azoospermia — ausência de espermatozoides no sêmen —, que acaba impossibilitando as tentativas de gravidez natural.


Mas afinal, por que isso acontece?


Conforme apontam os cientistas, esses impactos na fertilidade masculina acontecem devido aos desequilíbrios hormonais causados pelo excesso de peso, que impedem a produção de novos espermatozoides. A boa notícia é que muitos pacientes voltam a ter um sêmen saudável após um processo de emagrecimento.


A prática clínica demonstra que a perda de peso gradual é extremamente benéfica para a recuperação da saúde reprodutiva nos homens com sobrepeso ou obesos. Entretanto, a única forma de garantir um emagrecimento saudável é realizando um acompanhamento com uma equipe multidisciplinar, composta por especialistas em nutrição, endocrinologia, cardiologista e educação física.


Calculando o IMC


Para descobrir se o indivíduo está no peso ideal, é necessário determinar o seu Índice de Massa Corpórea (IMC). Trata-se de um cálculo simples: peso (kg) / altura² (m). 


As pessoas com peso saudável têm o IMC entre 18 e 25. Quando o IMC está na faixa de 25 a 30 considera-se que há sobrepeso. Se o cálculo resultar em um IMC maior que 30, o indivíduo sofre de obesidade.


O excesso de peso pode estar relacionado a diversos fatores: alimentação desregrada, sedentarismo, predisposição genética e desequilíbrios metabólicos. Por isso, o ideal é buscar uma equipe de especialistas que possam auxiliar no processo de emagrecimento, sempre considerando as particularidades do paciente e seu estilo de vida.


Realizando o sonho de ter um filho


Se após o emagrecimento, o paciente ainda apresentar problemas de fertilidade, o mais aconselhável é buscar um especialista em medicina reprodutiva. No Instituto Verhum, você pode contar com médicos altamente preparados para tratar a infertilidade masculina e feminina, sem deixar de lado o atendimento humanizado e acolhedor.


Desde sua fundação, o Instituto já registrou mais de 1000 bebês nascidos através de procedimentos de reprodução assistida, como a inseminação artificial e a fertilização in vitro. Por isso, se você sonha em ter um filho, entre em contato conosco através do Whats App (61) 9660-4545 ou ligue (61) 3365-4545.     

VOLTAR