Tipos de útero e seus impactos na gravidez

  • 16/12
  • BLOG VERHUM
  • Instituto Verhum

Responsável por abrigar o bebê durante a gestação, o útero é um dos órgãos fundamentais do sistema reprodutor feminino. Sua estrutura é composta por uma camada de tecido muscular que se expande durante a gravidez, de modo a permitir o crescimento e desenvolvimento do feto.


Em condições anatômicas normais, o útero  tem aproximadamente 8 cm no maior diâmetro e pesa de 40 a 60 gramas. Entretanto, algumas mulheres podem apresentar formatos diferentes de útero, devido a malformações congênitas. Acompanhe as próximas informações e saiba mais:



Tipos de útero 


De acordo com a literatura médica, as malformações uterinas podem atingir até 3% das mulheres. O diagnóstico dessas anomalias é feito a partir de exames como a ressonância magnética da pelve ou o USG 3D, que permite visualizar as condições do aparelho reprodutor feminino. Os tipos de malformações anatômicas do útero são:


1-  Útero bicorno


Neste caso, o útero apresenta uma divisão vertical, em forma de fenda. Essa divisão pode abranger o útero por completo, criando duas partes do órgão, ou apenas parcialmente, deixando-o em formato de “Y” .

Mulheres que possuem útero bicorno podem engravidar normalmente. Porém, como haverá um espaço menor para o desenvolvimento do bebê, as chances de aborto espontâneo ou parto prematuro são maiores.

2- Útero unicorno

Essa anomalia acontece quando o útero se desenvolve com uma tuba uterina. Nesse caso, a mulher pode ter dificuldades em engravidar, embora não seja impossível. Contudo, se ocorrer uma gravidez natural, existe maior probabilidade de aborto, restrição de crescimento e parto prematuro.

3- Útero didelfo ou duplo

Essa condição é caracterizada pela existência de dois úteros na mulher, cada um ligado a uma tuba uterina. Mais comumente, o útero didelfo se forma em duas partes conectadas a uma única vagina. 

É importante ressaltar que essa divisão acontece apenas dentro do canal vaginal. Isso significa que a vulva da mulher permanece normal, sem nenhuma alteração.

Quem tem útero didelfo pode engravidar normalmente. Entretanto, como nos outros tipos de anomalias, existem mais chances de abortamento ou parto prematuro.

4-  Útero septado

Nesse caso, a cavidade uterina apresenta uma membrana, também chamada de septo. Essa membrana pode chegar até uma determinada parte do útero ou se estender até o colo, dividindo o órgão por completo. 

Mulheres com útero septado apresentam mais chances de perda gestacional e parto prematuro.

5- Útero retrovertido

Essa condição não está ligada a uma malformação anatômica, mas sim à posição do útero. Nesse caso, o órgão está posicionado em direção à coluna vertebral, em vez de estar inclinado mais comumente em direção ao abdômen. 

O útero retrovertido não causa problemas para a gestação. Isso porque, por volta das 12 semanas de gravidez, o órgão muda de posição e fica reto.

 

Instituto Verhum: referência em tratamentos de fertilidade

 

Se você foi diagnosticada com alguma anomalia uterina, mas sonha em engravidar, agende uma consulta com os médicos do Instituto Verhum. Além de oferecer um atendimento humanizado e acolhedor, o Instituto conta com uma equipe multidisciplinar,  composta por especialistas em medicina reprodutiva; ginecologia e obstetrícia; genética; andrologia; ultrassonografia e endoscopia ginecológica.

Para os casos em que a mulher possui malformações no útero e apresenta dificuldades para engravidar, é possível realizar cirurgias por meio de histeroscopias e tratamentos de reprodução assistida através de técnicas como a inseminação artificial ou a fertilização in vitro.

Para saber mais, entre em contato pelo Whatsapp (61) 9660-4545 ou ligue para o número (61) 3365-4545.  

VOLTAR