Congelamento de óvulos para postergar a maternidade

Congelamento de óvulos para postergar a maternidade

Nos tempos atuais, temos visto que as mulheres têm adiado o projeto da maternidade. Sabemos que com o passar dos anos a quantidade de óvulos cai drasticamente. Entretanto, como aliado das mulheres que desejam postergar a maternidade, podemos contar com a técnica de vitrificação (congelamento) de óvulos, preferencialmente para aquelas cuja idade está abaixo de 36 anos.

O adiamento da maternidade muitas vezes ocorre por falta de um parceiro adequado ou até mesmo pelo momento profissional impróprio. Porém, postergar pode trazer muitos prejuízos para a mulher, como a queda nas taxas de gravidez, o aumento das taxas de abortamento, a elevação das taxas de malformações dos fetos e uma redução no sucesso das técnicas em Reprodução Assistida.

Hoje, temos a possibilidade de programar a vida reprodutiva de uma mulher mesmo na ausência de um parceiro. Procurar um profissional que atue na área é de extremo valor. Assim, no devido momento, e não de forma tardia, será realizado o procedimento de vitrificação dos óvulos para uma possível utilização no futuro.

Para aquelas que têm no custo elevado do tratamento um fator limitante, podemos lançar mão da doação compartilhada de óvulos. Nesse tratamento, a mulher sadia doa parte dos óvulos captados para uma outra mulher que, devido à idade, não tem condições de procriar com os próprios óvulos. Essa doadora tem o custo bem reduzido, pois os gastos são divididos entre as partes interessadas. Esse é um processo denominado Doação Compartilhada de Óvulos (DCO), plenamente aprovado pelo Conselho Federal de Medicina do Brasil. Quando a intenção do tratamento é congelar uma parte dos óvulos para postergar a maternidade e doar o restante, o procedimento é denominado “freeze and share”. No português, congele e compartilhe.

Uma outra indicação para congelamento de óvulos seria nos casos de oncofertilidade. Mulheres que serão submetidas à radioterapia ou quimioterapia, com risco de diminuição da reserva ovariana ou menopausa precoce, deveriam preservar seus óvulos antes do tratamento para câncer.

Portanto, aquelas mulheres que têm fertilidade em risco, seja por adiar a maternidade ou por ter que se submeter ao tratamento para um câncer, já podem contar com a medicina reprodutiva e o congelamento de óvulos. Esse procedimento pode permitir uma gravidez em momento oportuno.