Hábitos de vida pouco saudáveis podem comprometer desejo de ser pai

Tabagismo, uso de anabolizantes, estresse e sedentarismo são alguns dos fatores que podem causar a infertilidade masculina

Embora uma das causas mais comuns da infertilidade nos homens seja a varicocele, doença que acomete os vasos testiculares, os hábitos de vida e os fatores ambientais são também grandes responsáveis pela saúde reprodutiva. Sabe-se, atualmente, que cerca de 40% dos casos de infertilidade de um casal são atribuídos à mulher, 40 % aos homens e em 20% dos casos o problema é resultado de uma combinação de fatores em ambos os parceiros. “Quando a gravidez não acontece, o homem também deve ter acompanhamento médico e participar junto com a sua parceira da investigação para diagnóstico e tratamento da infertilidade”, afirma o médico Vinicius Medina Lopes, especialista em Reprodução Humana e diretor do Instituto Verhum, referência nacional em reprodução assistida.

O uso regular de álcool e drogas é um dos fatores que pode comprometer a fertilidade do homem. Consumidas cada vez mais precocemente, essas substâncias podem gerar alterações hormonais que afetam a qualidade e a quantidade dos espermatozoides. “Muitas pessoas acreditam que há uma influência apenas nos casos de drogas pesadas, como a cocaína e ecstasy, o que é um erro. As drogas lícitas, como o álcool; e consideradas naturais, como a maconha, também podem afetar a capacidade reprodutiva do homem”, esclarece o andrologista Eduardo Pimentel, que integra a equipe médica do Instituto Verhum.

O tabagismo é um outro vilão apontado pelos especialistas. “É preocupante, pois os jovens são grandes consumidores de cigarro e, também, de anabolizantes, outra substância que pode afetar a fertilidade”, diz Eduardo Pimentel. Além de provocar a queda da testosterona com consequente diminuição da produção de sêmen, o uso frequente de anabolizantes por jovens que frequentam academias em busca de aumentar a massa muscular pode causar disfunção erétil e atrofia dos testículos.

Até mesmo o uso de medicamentos prescritos, como antidepressivos, anti-inflamatórios, antibióticos e remédios para pressão alta pode afetar a fertilidade, mas, geralmente, a fertilidade é retomada quando o remédio é suspenso.

As Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST’s) podem causar danos sérios no aparelho reprodutor e são causas frequentes de infertilidade. “Esta é, portanto, mais uma razão para que as pessoas se conscientizem da importância do sexo seguro”, alerta Vinicius Medina Lopes.

A exposição a fatores ambientais (poluição, agentes químicos, solventes, pesticidas e alguns metais pesados) também é prejudicial à fertilidade.

“Evitar o consumo abusivo de bebidas alcoólicas, não fumar, exercitar-se, controlar o estresse, ter uma alimentação saudável, manter-se no peso adequado e dormir bem são alguns hábitos que ajudam a preservar a fertilidade masculina”, alerta Eduardo Pimentel.

 

Fonte da notícia
Portal A Rede (Rede Paraná de Notícias)